Escolha uma Página

Ontem escrevi o texto abaixo sobre o Caso Betina, que na verdade é Bettina, com dois T’s, Bettina Rudolph, da Empiricus, e agora me veio um insight que vou deixar lá para o final do texto.

Se você não sabe nada sobre isso, a Empiricus é uma empresa que vende conhecimento, informações sobre o mercado financeiro, com produtos até muito bons, porém são agressivos demais no marketing e nesta semana uma das propagandas deles foi com a Bettina, uma garota que enriqueceu rapidamente, com um marketing bastante agressivo, do jeito deles exagerado hehe, e isso gerou uma repercussão bem negativa, mas eu peguei os pontos positivos para escrever.

Então, primeiro o texto para você:

Caso Bettina:

Não vou falar do marketing agressivo da Empiricus e nem do primeiro milhão da menina. Deixa ela com ele e tô até torcendo para ela transformar logo em $10 mi. Torço sempre pelos ricos que trabalham do jeito certo.

Mas algumas coisas que me vieram na cabeça lendo sobre isso hoje:

-Esse negócio todo fala muito mais sobre a mentalidade do povo brasileiro do que sobre a empresa ou a garota do primeiro milhão ganho com trabalho e impulsionado por investimentos;

-Boa parte das pessoas não têm muita ideia do que é 1 milhão e acham que é muito mais do que parece. 1 milhão é para se querer ganhar a cada ano no mínimo e não para se ter como meta de vida;

-As pessoas que acham impossível passar de uma vida com R$1.520 na conta para outra com mais de R$ 1 milhão em 3 anos, com bolsa de valores e muito trabalho, são as mesmas que acreditam que dá para ir de R$ 3,50 para R$ 100 milhões na Mega Sena em apenas um dia, sem trabalho;

No fim tudo dá, mas sugiro estudar mais sobre estatística, mercado financeiro, trabalho e sobre a própria forma de pensar. Vai valer a pena. E costuma dar a maior grana.

Para terminar, vou dizer sem preocupação:
-riqueza é mérito;
-criticá-la demonstra a própria incompetência para alcançá-la.

Por mais Bettina’s e Bettino’s neste mundo. Terminaremos melhores.

Esse post está lá nas minhas redes sociais, gerando diversos comentários e eu mesmo já escrevi umas 5 vezes mais do que isso respondendo cada um deles.

O fato é que enquanto 98% das pessoas estão criticando, eu tenho filtro para negativismo, eu nem mesmo vejo o lado ruim das coisas, muitas vezes.

Mas o pronto principal, que me passou pela cabeça agora é o seguinte:

É fato que eu também não gosto do marketing da Empiricus, da forma como eles divulgam os produtos, a forma como forçam a barra.

Mas tem uma coisa muito importante aí! (para o seu negócio, você vai entender)

0,5% da população do Brasil investe na bolsa, umas 900 mil pessoas.

Nos EUA, 70% da população investe.

Na Colômbia, que tem 1/4 da população do Brasil, 3 milhões de pessoas investem.

E no fim vários dos produtos da Empiricus são muito bons. Levam educação financeira para pessoas que nunca teriam isso.

E aí é que está…

Parei para pensar em mim e em você.

Eu tenho produtos muito bons também.

Mas não faço marketing agressivo. Muitas vezes nem mesmo divulgo para você que está aqui e me acompanha.

E com isso faço com que muita gente nem saiba o que eu crio ou faço pelas pessoas e negócios.

O ponto é:

Se você tem um produto bom e você não se esforça para que as pessoas comprem, você está fazendo um desserviço para a sociedade!

Você simplesmente está privando muita gente de conhecer o que você oferece.

Juro que isso me fez pensar.

Eu posso criticar a forma como eles exageram no marketing, mas meu saldo pode ser mais negativo do que o deles. Faço pouco para vender, mesmo as melhores coisas que crio. Vendo para quem quer comprar e não forço nada.

No fim, sinceramente estou achando que estou mais errado do que certo nisso. Muita gente ganha menos e tem uma vida pior porque eu as deixo tomar a decisão, ou não tomar decisão alguma de comprar as minhas coisas.

Vou começar a mudar agora. O Caso Bettina Rudolph pode mudar a vida de muita gente de outras maneiras.

Além da menina ensinar sobre dinheiro e investimentos para muita gente, pode me fazer ser menos bonzinho nas vendas.

Porque ser bonzinho pode ser uma mentirinha. No fim eu posso mais prejudicar do que ajudar com isso.

Porque se o que faço traz muito mais benefício do que o valor que a pessoa paga, estou atrapalhando quem eu deixo vender. E você é uma das pessoas que não me ouve falar do que faço há meses provavelmente.

Eu quero que você pense nisso para o seu negócio também!

Então eu já quero saber se você quer começar já a ter o meu acompanhamento por 1 ano para melhorar seus negócios.

Eu não estou com meu grupo aberto, está em lista de espera para quem quer ser avisado, pela página www.alessandrogon.com.br/comunidade-lista-de-espera.

Mas devo reabrir logo, ou até adiantar a abertura com tudo que estou pensando aqui agora.

São 52 semanas de orientação e acompanhamento. Mais de 50 encontros ao vivo. Muita dedicação minha para te ajudar naquilo que você realmente precisa no seu momento.

Quer, clica e deixa seu nome lá.

Aproveita que ainda não fiz a mudança do bonzinho para o mais agressivo no marketing rsrs.

Só não quero mais te prejudicar, deixando você escolher ficar de fora se você precisa crescer.

Agora a dica: vai custar R$ 2.920 pelos 365 dias, R$ 8 por dia, mas antes ficará um mês por R$ 1.997 e abrirei para quem está na espera por R$ 997, R$ 2,73 por dia para ter um retorno muito maior, de repente em uma semana.

Deixa o nome aí cadastrado se quiser entrar nessa nova turma de R$ 997 nos primeiros dias. Vai ser a mesma turma que vai pagar R$ 2.920 ou R$ 3.000 depois.

E nunca mais deixe de divulgar o que você tem de bom! Inclusive eu posso te ensinar a fazer isso usando o poder da internet logo nos primeiros destes 365 dias.

Um abraço!
Alessandro.

Pin It on Pinterest

Share This